segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Anal Extremo, Rosebud e Um Tipo Diferente de Musculação


Everythingbutt.com é o site de sexo anal extremo e outros fetiches anais do Kink.com
Cherry Torn
É uma espécie de sonho transformado em realidade para todos aqueles que se interessam por uma área do BDSM ainda carregada de mitos e pouca informação. O kink.com, como talvez muitos saibam, é um dos maiores grupos de entretenimento BDSM do mundo, e que conseguiu conquistar o respeito de todas as pessoas que encaram a sexualidade de um modo sério justamente pelo modo como eles trabalham e atuam junto à comunidade LGBT, e kink.

Cherry Torn
Cherry Torn

Amber Rayne e James Deen
Audrey Hollander

James Deen, Dana de Armond e Emma Haize
Mark Davis, Madison Young e Tia Ling


Em seu estatuto de valores, o kink.com assume como missão a meta de desmistificar e celebrar sexualidades alternativas. E eles fazem isso através dos inúmeros sites vinculados ao grupo, cada um contendo um tipo específico de fetiche. Tem desde o Divinebitch.com que é um site de FemDom Mulheres-homens, o boundgods.com que é um site de bondage e sexo gay masculino, etc. Não seria portanto de estranhar que o kink tivesse em sua cartela, um site com um dos fetiches vinculados a uma área ainda muito, muito inexplorada e pouco explicada, embora muito fascinante que é o anal extremo.
Todos os sites do kink.com, possuem para aqueles que se associam e ganham o direito de “baixar” os vídeos, a possibilidade de participarem de um fórum discutindo desde as armações do corset de determinada atriz, até detalhes mais técnicos a respeito de determinada prática. É justamente no fórum que vemos como o trabalho do kink em buscar desmistificar e celebrar o bdsm tem obtido resultado, ainda que percebamos que será árduo.

Kylie Ireland



E aqui começa o assunto desse texto. Everythingbutt foi criado em 2009, e em seus primeiros meses, eles chamaram uma veterana da indústria pornográfica chamada Kylie Ireland. Kylie, que tem pouco mais de 40 anos de idade e está na indústria há quase vinte, poderia ser chamada de uma verdadeira entusiasta do assunto. Ela começou a se especializar em anal play, e possui um programa de rádio nos EUA aonde busca tirar dúvidas e dar conselhos sobre sexualidade alternativa. Portanto, escolha mais do que justa para um trabalho num site que busca a mesma coisa. Mas o que Kylie fez em seus dois primeiros vídeos para o site, foi algo próximo do sublime, que assustou leigos, despertou o interesse dos curiosos e apaixonou os experts. Basta ver o fórum relacionado a participação dela. A própria Kylie foi chamada a participar do fórum, para ajudar a explicar o assunto, apresentar material de pesquisa, etc. Finalmente o anal extremo tinha encontrado uma visibilidade séria, ainda que (e não poderia deixar de ser) dentro de um nicho especifico da comunidade bdsm.


Como costumo falar para as minhas amigas, e para as mulheres que se interessam por anal extremo, tudo é uma questão de treinamento e atenção. Anal Play extremo, pode parecer assustador para alguns, mas até aí, spanking também o é. Eu já vi gente chocada com piercings, e gente que tem pavor a assistir a um jogo de rugby. São todas atividades, que dão prazer a quem prática, mas perigosas para aqueles que a fazem com desconhecimento ou sem treinamento.

Não é de uma hora para outra que se vai virar um bom praticante do fetiche, e nem com qualquer um. Aliás, assim como o próprio exemplo do rugby, não é qualquer um que pode praticar anal extremo. Ainda que a capacidade de aquisição de elasticidade e dilatação seja inerente a todos e não importa a idade. Força de vontade, mente aberta e paciência são fatores decisivos na equação aqui. E quando falo de mente aberta, me refiro ao fato de que algumas imagens, são uma quebra de paradigma muito forte. Como eu disse, e retornando ao fórum do everythingbutt, muitos leigos no assunto ficam chocados com o que vêem.



Vou usar os dois vídeos da Kylie como parâmetro nessa minha jornada introdutória ao anal extremo. Em ambos os vídeos, Kylie tem como companhia um Dominador chamado Mark Davis, um cara que muitas de minhas amigas amam ver, justamente pela força e segurança que ele demonstra ao mesmo tempo em que ele consegue “ler” a submissa, quer dizer, ele consegue ser cruel, duro, ir no limite, mas sempre estar atento a segurança da parceira. O perfeito sujeito para um bate e assopra. O sujeito perfeito para o intuito de Kylie quando foi chamada para fazer algo para o site. Lembrem-se do que eu disse lá em cima, sobre o parceiro correto para o treinamento. Mark Davis com seu jeitão de carrasco carinhoso é perfeito para a missão.



O primeiro vídeo, já começa demonstrando o poder atingido por Kylie Ireland. Um adendo antes de começar. Eu sempre digo, que o poder está com a submissa, por mais que alguns dominadores inseguros tentem uma contestação de tal afirmação, podemos comandar, podemos orientar, mas quem tem poderes, resistência e conhecimento sobre o próprio corpo é a submissa. E ela comanda obedecendo, sem precisar dizer, o que para aqueles que têm sensibilidade e podem entender, é o lado poderoso do bdsm. Qualquer um poderia até dar meia dúzia de ordens, fingir saber o que estar fazendo. Mas poucos são aqueles que conseguem ter um grau de domínio e conhecimento do corpo e da mente de fato. E o vídeo abre com Kylie falando sobre os anos dela de bdsm, e práticas anais. Depois, ela faz um enema de demonstração (claro que ela já tinha feito o enema de higiene antes, ninguém iria querer ver restos de fezes no vídeo), o enema aqui é o de função erótica e vai demonstrar a capacidade física, o controle sobre o próprio corpo, a excelência atingida por Kylie nesse assunto. Normalmente, não se tem uma real idéia da capacidade media de quanta água uma pessoa pode introduzir na região reto-anal. Iniciantes costumam ter a capacidade de suportar entre meio litro e 1 litro e meio.  Kylie, introduz 1 galão (o que se transformará no título do vídeo),  que dá algo em torno de 3, 785 litros de água. E aqui ela irá demonstrar o nível que ela atingiu no controle da musculatura da região anal, porque além de conseguir reter toda essa quantidade de liquido, ela irá expelir alternando a intensidade, e a quantidade que ela quer a cada jorro. Quem já ouviu falar no pompoarismo, que é uma atividade de controle dos músculos vaginais, o que temos no anal extremo é similar e mais intenso. Mas a Kylie costuma dizer no programa de rádio, que tem inclusive a participação de médicos, sexólogos, etc.
Isso não é um freak show circense, quem realmente quer, quem realmente se interessa e leva a sério o assunto, pode chegar nesse patamar com dedicação, paciência e disciplina.
Após a maravilha do enema, Mark Davis é chamado e por quase uma hora somos maravilhados por mais demonstrações da capacidade atlética de Miss Ireland, os objetos vão sendo introduzidos em sua região anal, cada vez maiores. É interessante notar, que mesmo sendo um país puritano, com regiões em que o casamento interracial é até mesmo proibido, os EUA também tem um outro lado mais desenvolvido quando falamos de sexualidade humana. Existem por lá, especialistas, empresas, entidades, etc. que buscam trabalhar esses novos horizontes da sexualidade humana. E comprovando aquilo que falo, tente buscar no marcado brasileiro, dildos, plugs e consolos maiores do que 20cm. Como por lá, cada vez mais pessoas tem percebido as possibilidades de prazer e de auto-controle do corpo que está por detrás do anal extremo, já existem toda uma leva de plugs e dildos de tamanhos inúmeros. E o que vemos no vídeo, com o Mark Davis usando eles na Kylie, chega a parecer um portfólio da empresa. Graças a Kylie Ireland, Amber Rayne e a uma teórica do assunto Tristan Taormino, o anal extremo tem saído das trevas da ignorância e se aproximado de um público maior dentro da comunidade bdsm americana.


Mas para além da capacidade da nossa submissa de receber qualquer um dos inúmeros objetos gigantes que Mark Davis introduz nela, o que podemos observar, e que é o mais fascinante nesse vídeo, é o controle que ela vai demonstrar sobre o próprio corpo o tempo todo. Não vamos dizer que ela não sente dor.  Mas não é aquela dor insuportável de que algo está errado com o próprio corpo. É a dor de alguém que está fazendo uma atividade física, que está em algo intenso. Quem já correu, já nadou, já fez musculação, sabe de que dor estou falando aqui. Miss Ireland, dilata, fecha, e abre o próprio orifício anal ao sabor das ordens de Mark Davis.
Antes de falar dos próximos dois episódios dentro do próprio vídeo, cabe aqui explicar o rosebud ( Inglês para botão de rosa), é um inchaço do orifício anal, que tem origem em dois fatores, o primeiro e mais comum é o excesso de atividade sexual na região do ânus, o segundo, é menos comum e atingido por gente no estágio que Kylie atingiu, a musculatura anal está tão treinada, que ela pode expelir, qualquer coisa que ela introduzir no ânus e aí vê-se um rosebud diferente, algo como um bíceps malhado, etc. Mas antes que me perguntem, ambos, são temporários e ocorrem no meio de sessões intensas. Retornamos ao vídeo, e Kylie, vai brincar com Mark Davis, ele a penetra com próprio e ordena que ela expulse, e ela empurra o pênis dele para fora do próprio ânus, tal a força que ela adquiriu no próprio esfíncter, e vemos um dos mais belos rosebud a aparecer em vídeo. O vídeo encerra, com mais uma demonstração do controle de esfíncter, com ela expelindo a ejaculação de Mark Davis.


Pouco mais de algumas semanas depois, ela voltaria a fazer outro vídeo tão intenso quanto. Já Na abertura podemos ver que não houve lesões, o que é de se esperar quando falamos em anal extremo bem feito. Olhando Kylie se curvando e mostrando o cu para a câmera, notamos que nem parece a mesma mulher de algumas semanas antes.  O que corrobora com aquilo que falei, o treinamento para anal extremo, quando bem feito, permite atividades intensas e recuperação segura. Como quando se faz um anal baunilha comum.  Feito corretamente, o anal extremo é uma incrível e intensa experiência sexual, não é prejudicial como muitos leigos podem pensar e não leva a qualquer "problema" mais tarde na vida, mas volto a repetir, quando feito corretamente. O treinamento correto, pode levar a um fortalecimento da musculatura do esfíncter e a capacidade de relaxar os músculos anais o suficiente para  a expulsão de que qualquer coisa ou objeto introduzido.

Os músculos se contraem realmente muito rápido após o sexo anal, retornando ao seu estado normal.

Pensando bem sobre isso, o sexo anal de um modo geral e o anal extremo mais ainda exige muito do uso dos músculos e como com qualquer repetida flexão muscular, o músculo pode se tornar mais forte, não fraco. O uso de exercícios de Kegel vão ter papel preponderante no desenvolvimento das técnicas demonstradas por Kylie Ireland nos vídeos, ela mesma adora falar sobre Kegel no programa dela de rádio e nos textos dela tanto no fórum defendendo o que ela fez, como nos workshops ao redor dos EUA.


Exercícios Kegel é o nome dado a um determinado tipo de exercício físico criado por Arnold Kegel nos anos 40 e que tem como finalidade fortalecer o músculo pubococcígeo. Este exercício consiste na contração e descontração destes músculos, que são por vezes nomeados músculos de Kegel, numa referência ao exercício. O objetivo deste é restaurar o tônus muscular e a força do músculo já referido de modo a prevenir ou reduzir problemas do pavimento pélvico e aumentar a gratificação sexual. Embora pensado e ensinado as mulheres muitas vezes apenas para o sexo vaginal, a extensão dos exercícios a homens, feita pela comunidade gay nos anos 60, demonstra o potencial dos exercícios Kegel para o anal extremo. E para àqueles que já estão acostumados a me ver falar das conexões entre bdsm e paganismo e tantrismo, etc, aqui vai um adendo. Embora o Dr. Arnold Kegel tenha sido o primeiro a ser visto falando sobre esses tipos de exercícios no ocidente, é fato de que as práticas envolvidas no Kegel já eram conhecidas pelos Taoístas na China Antiga. Estes desenvolveram os exercícios com vista a melhorar a saúde, a longevidade, a gratificação sexual e o desenvolvimento espiritual.



Como algumas Asanas (posições físicas dentro da Ioga), que não se atingem no inicio da prática, o patamar aqui descrito sobre o anal extremo também não se atinge de uma hora para outra. Mas em ambos, dedicação e disciplina, fazem uma grande diferença, e o resultado é sempre benéfico quando feito corretamente. Todos sabem que Ioga, é um bom caminho para uma velhice saudável, mas experimente fazer uma asana de modo errado e sua coluna jamais será a mesma. Logo, o mesmo se aplica ao anal extremo.



E eu encerro esse texto com uma afirmação:

"O sexo anal pode ser perfeitamente seguro, e até mesmo benéfico. O tabu contra o erotismo anal é perpetuado pela crença quase universal entre os médicos que o sexo anal é necessariamente perigoso. Nenhum ferimento físico a partir dos resultados da estimulação anal, se ambos os parceiros se recusam a tolerar a dor desmedida, nunca usar a força desnecessária e evitar o uso de drogas. "
- Jack Morin, PhD, terapeuta sexual em São Francisco e pesquisador, é o autor de Anal Pleasure and Health: A Guide for Men and Women.  (Prazer Anal e Saúde: Um Guia para homens e mulheres).


Texto: "DC92"

Abaixo mais fotos dos dois vídeos comentados aqui:




























Assista aos trailers dos vídeos:


Texto enviado por um leitor do blog, amigo e Mestre em BDSM: 
"DC92"


Editado por: Gisele Ferran




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...