sexta-feira, 15 de março de 2013

Deliciosas Putarias na Arte de Shiko (Derby Blue)




O grafiteiro e ilustrador autodidata Shiko (também conhecido por Derby Blue), nasceu João Pessoa, PB em março de 1976 e  hoje mora na Itália. Sua obra já foi publicada em capas de discos e livros, quadrinhos, grafites de rua, tatuagens, editoriais, anúncios, além de uma serie de exposições individuais e coletivas.

“Desenho em casa: ilustrações, storyboard, quadrinhos, telas, aquarelas, cinema de animação. Na rua faço graffiti com os amigos e cinema-gambiarra-favela com Las Luzineides. Encontro minhas idéias vendo cinema, lendo, ouvindo música, bebendo, jogando bola, tomando café, andando em círculos e sem rumo, desenho o que vejo e o que gostaria de ver. Quando vejo alguém comentar o meu trabalho, sempre tenho a sensação de que estão falando de outra pessoa, porque de modo geral tem sido boa a resposta”. 
“Na minha visão, a pornografia pode ser arte de bom gosto. Demorei pra entender que o que eu fazia era erótico. Eu simplesmente não fazia distinção, era só um desenho bonito e legal.”

Abaixo alguns de seus trabalhos mais eróticos:
















 










Por Gisele Ferran

 

quarta-feira, 13 de março de 2013

Atrás da Porta com Marilyn Chambers



Após se formar na high school, a jovem Marilyn Ann Briggs (natural de Rhode Island, nascida em abril de 1952) viajou para New York para tentar uma carreira de modelo e atriz. Nadadora e ginasta olímpica quando menina, ela tinha uma bela forma, somado a um rosto de beleza natural, mas diferente.


 
Na Big Apple, participou de um grupo de teatro e conseguiu uma pequenina ponta em um filme de Barbara Streisand ("O Corujão e a Gatinha" de 1970,com o pseudônimo de Evelyn Lang).Sua chance chegou quando foi escalada para a campanha publicitária do sabão em pó "Ivory Snow", onde aparecia como uma mãe e dona-de-casa dedicada, inclusive posando com um bebê em seus braços. Apesar de sua imagem ficar muito popular nos estados Unidos, Marilyn não conseguia deslanchar sua carreira. Quando meses depois leu um anúncio em um jornal anunciando a escolha do elenco de um novo e grande filme, rapidamente se inscreveu.






 Marilyn acabou ficando com o papel principal de "Behind The Green Door" (Atrás da Porta Verde, 1972) de Artie e Jim Mitchell (The Mitchell Brothers).
Gloria (Chambers) é raptada por dois homens (os irmãos Mitchell) e levada a um clube secreto onde é preparada para um show, acompanhado por uma audiência de pessoas mascaradas. Por de trás da tal porta verde surge primeiro um enorme negro com uma fantasia tribal e depois 3 trapezistas. Gloria faz sexo com todos eles e o público excitado inicia uma orgia. O clímax é uma longa ( e quase surreal) sequencia de ejaculações em câmera lenta no rosto da garota. Estilizado e com um clima de sonho/pesadelo, "Behind The Green Door"  foi um dos primeiros filmes pornôs (juntamente com Deep Throat/Garganta Profunda) a serem exibidos em circuitos tradicionais de cinema. 




Marilyn não tinha um roteiro das filmagens," Eu realmente não sabia o que ia acontecer. Eu acho que sendo realmente tudo surpresa para mim, tornou as cenas mais reais." (entrevista para Dan Scapperotti em 1997).

 
A polêmica em torno da figura conhecida de Marilyn Chambers  como a "garota Ivory" fazendo cenas de sexo ajudou na publicidade do filme, que fez um enorme sucesso. Mas as coisas não ficaram boas para a jovem de 20 anos. Os fabricantes do sabão "Ivory Snow" cancelaram seu contrato e trataram de tirar suas fotos das publicidades. "Os irmãos Mitchell se tornaram meus irmãos e me apoiaram. Acho que meus parentes não queriam mais falar comigo novamente, porque eles não acreditavam no que eu havia feito" (idem). Diferente de outras jovens estrelas de filmes eróticos, ela estava preparada e não se deixou cair. Se as portas das agências de publicidade/modelos e do cinema convencional se fecharam para ela, logo ela estava fazendo diversos shows eróticos (produzidos pelos Mitchell) e estrelando "The Resurrection of Eve" (1973) de Artie Mitchell e Jon Fontana.


 
Na história do filme, uma jovem é desfigurada em um acidente de carro e depois de uma revolucionária cirurgia, se transforma em uma bela e sexy mulher. Aproveitando sua transformação, ela se "vinga" de um cara que a havia rejeitado quando era menos atrativa fisicamente,nasceu assim outro clássico dos primórdios do Hard-Core...



Logo após rodar o filme, Chambers decidiu abandonar o cinema pornô e se dedicar a seus shows de stripper, principalmente em Las Vegas, onde chegou a fazer duas apresentações por noite durante 52 semanas! Os irmãos Mitchell, insatisfeitos em perder sua estrela (e dólares) re-editaram cenas dos dois primeiros filmes e lançaram a saudável picaretagem chamada "Inside Marilyn Chambers"(1975).


 
Afastada de seu sonho de ser uma atriz dramática em Hollywood, Chambers aceitou o convite de um jovem diretor canadense para estrelar um filme de terror naquele país.
"Rabid" (Enraivecida na Fúria do Sexo,1977) era o segundo longa metragem profissional de David Cronenberg, que havia feito muito "barulho" com o suspense provocativo "Shivers-The Parasite Murders" (Calafrios,1975) sobre uma epidemia sexual em um condomínio.


"Foi ótimo trabalhar com David", conta Marilyn sorrindo. "Ele me falou um monte de coisa que são de muito valor para uma atriz, especialmente em um filme de horror. Eu achei aqueles conselhos muito úteis pra filmes de sexo também" (idem).




Na trama, Marilyn é Rose, uma garota que sofre um acidente de motocicleta e é submetida a uma cirurgia experimental que a deixa com um estranho apêndice em baixo do braço e sede de sangue humano. Suas vítimas se transformam em vampiros raivosos que infectam outros e provocam uma epidemia e o caos em uma cidade.












 
Apesar  de ter se saído muito bem em um papel dramático e dos esforços de seu empresário, Marilyn não conseguiu outros trabalhos no cinema e assim ela aceitou estrelar "Insatiable" (Sexo Insaciável, 1980) de Godfrey Daniels (Stu Segall), um hard-core com ótima produção e ícones do gênero no elenco como John Holmes, John Leslie e Serena. As aventuras sexuais de uma modelo e atriz contadas por ela mesma outro marco no gênero e com Marilyn muito a vontade...




Em "Up'n'Coming" (1983) de Stu Segall, Marilyn pode atuar, fazer sexo e cantar (ela também havia se aventurado no mundo da música em 1977 quando gravou um disco single chamado "Behihana" uma música "Disco" e excursionou com sua banda) no papel de uma jovem vocalista de música country que rouba a cena (e os amantes) de uma  cantora veterana famosa.



 
Na comédia de ação e ficção científica "Angel of H.E.A.T." (Anjo de Fogo,1983) de Myrl A.Scheibman, ela fez o papel de uma agente do governo na caça a um cientista louco que possui um exército de andróides e uma arma de raios capaz de derreter metais. Apesar de várias cenas de nudez o filme não é pornô, mas mesmo assim foi relançado em vídeo como sendo XXX, aproveitando o seu nome na capa!

















Marilyn Chambers estrelou "Insatiable 2" (Sexo Insaciável 2, 1984) do mesmo diretor e em 1986 os Irmãos Mitchell rodaram "Behind the Green Door- The Sequel" sem a atriz.  Ela continuou sua carreira nos filmes eróticos XXX em vídeo mesmo após o nascimento de sua filha McKenna Marie Taylor (em 1991) . Em 2004 foi candidata a vice-presidência dos Estados Unidos pelo estado de Utah, recebendo 1% dos votos do estado. Em 2007 participou da comédia "Stash" e em 2008 fez o papel de uma policial no drama "Solitaire", ambos sem cenas de sexo e nudez.
"Eu normalmente represento a mim mesma. Eu sinto que sou realmente uma boa atriz, e espero uma chance para representar algo além de uma puta rica ou uma rainha pornô que transa bem." (Femme Fatales Magazine vol.6 # 3)



Marilyn faleceu em 12 de Abril de 2009 de hemorragia cerebral.













                                                                           by Coffin Souza
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...