segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Tinto Brass: O Poeta do Erotismo

Giovanni Brass, nasceu na Itália em março de 1933. Seu avô Italico Brass, um famoso artista plástico, lhe deu o apelido de "Tintoretto", que anos mais tarde ele adaptaria para seu nome artístico.


Tinto, se formou em Direito em 1957, mas na mesma época, trabalhou na Cinémathèque de Paris e se aproximou do movimento Novelle Vague. Iniciou no cinema estagiando como assistente de Alberto Cavalcanti, Jori Fuens e Roberto Rosellini, até estrear como realizador com "Chi Lavora è Perduto" (1963), um drama romântico. Depois dirigiu junto com Luigi Comencini e Mauro Blognini a comédia em episódios "La Mia Signora" (A Minha Senhora, 1964) com Alberto Sordi. Com o mesmo ator, realizou uma comédia de ficção científica chamada "Il Disco Volante" (1964). Seguiram-se um Spaghetti-Western, "Il Yankee" (O Yankee, 1966) e um Giallo, "Con Cuore in Gola" (Eliminação, 1967).
Depois de flertar com estes gêneros populares na Itália, Tinto se dedicou a trabalhos mais experimentais e artísticos como "Nerosubianco" (A Atração do Sexo, 1968) e "L'Urlo" (1969); além do drama romântico "Drop Out" (Os Desajustados do Amor, 1970) com Franco Nero e Vanessa Redgrave.

O sucesso e a mudança em sua carreira iniciou com o Nazisploitation "Salon Kitty" (Salão Kitty, 1976) com Helmut Berger e Ingrid Thulin. Tinto Brass realizou um exemplar diferente e por vezes refinado do gênero, unindo o seu bom gosto artístico com a sacanagem e a violência do tema. Uma sequencia sempre destacada é a das garotas do bordel nazista tendo que transar com homens com deformações físicas.



Com estas credenciais, Tinto foi chamado para dirigir a super-produção histórica "Caligola" (Calígula, 1979), baseado no livro e roteiro de Gore Vidal. A história do doido imperador romano Caius Germanicus Caligola (Malcolm McDowell), tinha os mesmos elementos que ele tão bem trabalhara antes (sexo, loucura e violência), além de um elenco de primeira com participações de atores renomados como John Gielgud e Peter O'Toole e um orçamento milionário provido pelo produtor Bob Guccione (editor da revista masculina Penthouse).






 Os problemas surgiram quando Guccione passou a exigir a inclusão de cenas de sexo explícito no filme e Tinto Brass se recusou a filma-las. A briga terminou com o diretor sendo demitido (e creditado apenas como responsável pela "fotografia principal") e as cenas hard-core foram realizadas por  Guccione e Giancarlo Lui. O filme de quase 20 milhões de dólares, foi destroçado pela crítica e proibido em diversos países...



Tinto Brass ficou meio perdido e tentou dar a volta por cima, mas primeiramente fracassou com o fraco drama "Action" (1979). 
Assumindo seu gosto pelo cinema erótico mais refinado, ele realizou "La Chiave" (A Chave, 1983), baseado em um livro de Junichiro Tanizaki, com Stefania Sandrelli e Frank Finlay como um casal que encontra uma forma peculiar de vencer a monotonia do casamento: ler o diário íntimo um do outro e conhecer assim seus desejos e fantasias reprimidas.
O filme foi um sucesso e literalmente a chave para Tinto Brass se transformar em um mestre do cinema erótico!




"Miranda" (1985), mostra uma bela viúva (Serena Grandi), que procura um novo companheiro se relacionando com diversos homens em uma pequena cidade do interior. No final, ela descobre que é muito mais feliz sendo uma amante do que uma esposa. E Tinto assume seu gosto por mulheres realmente gostosas, de grandes seios e traseiros mais que generosos e sem nenhum silicone. E passa a valorizar em suas obras, o sexo livre e alegre, portanto...apaixonante!




Em "Paprika" (1991), a estonteante Debora Caprioglio é Pipa, uma garota do interior que para ajudar seu noivo a abrir um negócio próprio, se emprega em um bordel. 





Páprika é seu "nome de trabalho", dado pela cafetina Madame Collette (Martine Brochard). Apesar de todos os problemas como prostituta (clientes indesejados e ciúmes de putas veteranas), Paprika dá a volta por cima e garante um final feliz. Em 1995, Joe D'Amato faria sua versão Hard-Core da história, com "Anal Paprika", com Erika Bella no papel principal...

                                                               Debora é Paprika...

                                                                           Anal Paprika

"Così Fan Tutte" (Todas as Mulheres Fazem, 1992), conta a história de Diana (Claudia Koll), que vive feliz com seu esposo Paolo (Paolo Lanza), mas por conta de seu enorme apetite sexual, vive várias aventuras extra-casamento. Mas ela nada esconde dele e sempre lhe conta suas experiências ( que ele ingenuamente acha que são apenas fantasias...), até o dia em que conhece um jovem poeta e tudo se complica! A solução é típica de Tinto, com Diana participando de uma orgia (junto com sua irmã e alguns amigos) e tudo acabando bem...







A linda Anna Ammirati vive a personagem principal de "Monella" (Monella, A Travessa, 1998). A história é muito simples: No interior da Itália dos anos 50, alegre e sensual Lola, é noiva do jovem Masetto. Ela quer muito transar com seu amado, mas ele quer guardar a virgindade dela para o casamento (mas procura prostitutas para se satisfazer). Lola vive sonhando com fantasias eróticas e encontra diversos personagens até a consumação de seu desejo! 






Anna Ammirati também canta a música tema e ganhou o papel de uma forma inusitada, quando Tinto Brass acidentalmente bateu seu carro em sua bicicleta. Apesar de não se machucar, a jovem brincou queria trabalhar em seu próximo filme ou chamaria a polícia...conseguiu e "Monella" foi um grande sucesso internacional.






Já Carla (Yuliya Mayarchuk), em "Transgredire" (A Pervertida, 2000), procura um apartamento em Londres para morar com seu amado Matteo (Jarno Berardi). Acaba se envolvendo com a linda e lésbica Moira (Francesca Nunzi) e tem uma experiência anal com o ex-marido da mesma durante uma festa. O preocupado e ciumento Matteo finalmente chega da Itália e acaba concluindo que sua paixão por Carla é maior do que tudo o que passaram.





Depois de diversas comédias, Tinto realizou um filme sério e voltou ao tema da Segunda Guerra com "Senso '45" (Luxúria, 2002). Infeliz em seu casamento com um político Fascista, Lívia (Ana Galiena), tem um caso com um jovem e ambicioso tenente da S.S. (Gabriel Garko), mas acaba descobrindo que o oficial apenas a está usando para seus próprios fins ardilosos.





"Fallo!" (Faça Isto!, 2003), é um filme com seis mini episódios contanto situações de fantasias sexuais e erotismo de jovens mulheres modernas. Apesar de irregulares, as histórias são divertidas e excitantes, e Tinto continua com sua habilidade de transitar "perigosamente" entre o pornô e o erotismo soft, ao mostrar closes reveladores de suas estrelas e os pintos eretos dos personagens masculinos...





Com "Monamour" (2006), Tinto revisita várias situações de filmes anteriores (e recicla cenas, idéias e mesmo a trilha sonora) ao contar a relação entre uma esposa insatisfeita com a falta de atenção de seu esposo ( a ucraniâna Anna Jimskaia) e um sedutor fotógrafo francês (Riccardo Marino), durante a feira do livro de Montova. Ela experimenta o prazer de todas as formas (inclusive em uma dupla penetração) e  seu marido se excita ao ler seu diário. Isto, claro acaba influenciando positivamente seu casamento!





Tinto Brass tem ainda vários outros trabalhos, todos voltados a alegria do sexo e as relações entre casais apaixonados...um verdadeiro mestre do erotismo e suas lições...



                        "A bunda é o espelho da alma"
                                                           (Tinto Brass)


                                                                                                                              by Coffin Souza

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Gilvan Lira: Sonhos Eróticos e As Garotas que Adoravam Cavalos



O desenhista e roteirista Gilvan Lira, nasceu em São Rafael no Rio Grande do Norte, trabalha como ilustrador para jornais, inclusive publicando charges e tirinhas de quadrinhos, além de diversos fanzines. Sendo mais conhecido por suas histórias em quadrinhos para adultos (onde explora bastante o tema ninfetas, como também zoofilia, incesto e orgias).


Abaixo duas de suas HQs, baixadas do blog http://hardhq.blogspot.com.br/ (escaneadas por Janjão): Sonhos Eróticos, onde um punheteiro juvenil se dá muito bem com suas colegas de classe. E As Garotas que Adoravam Cavalos que, como o nome já sugere, aborda zoofilia, além de lesbianismo e mênage a trois.


























 Por Gisele Ferran


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...