segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Samurai Girls





Ahhh...Estas sensuais, belas e muio perigosas garotas samurais que habitam os Mangás, Animes, Filmes de ação e fantasia... Somos todos loucos por elas!









Nós ocidentais tendemos a acreditar que estas mulheres guerreiras pertencem somente ao universo ficcional. Mas a verdade é outra, e as fotos raras abaixo mostram verdadeiras samurais femininas com seus uniformes e armas. Quem são elas?

Onna-bugeisha era um tipo de guerreira pertencente à nobreza japonesa. Muitas mulheres se envolveram em batalhas, comumente ao lado dos homens samurai. Elas eram membros da classe bushi (samurai) no Japão feudal e foram treinadas no uso de armas para proteger sua casa, família e honra em tempos de guerra. Ícones significativos, tais como Tomoe Gozen, Nakano Takeko, e Hōjō Masako são exemplos famosos de Onna bugeisha.




Muito antes do surgimento da classe samurai de renome, lutadores japoneses eram altamente treinados para empunhar uma espada e lança. As mulheres aprenderam a usar naginata, kaiken, e a arte de tanto-jutsu na batalha. Essa formação assegurava proteção em comunidades que não tinham lutadores do sexo masculino. 







Uma dessas mulheres, mais tarde conhecida como Imperatriz Jingu (169-269 DC), usou suas habilidades para inspirar mudanças econômicas e sociais. Ela foi legendariamente reconhecida como a bugeisha onna que liderou uma invasão da Coreia, em 200 dc depois que seu marido Imperador Chūai, o imperador XIV do Japão, foi morto em batalha. Segundo a lenda, ela milagrosamente levou a conquista japonesa da Coreia sem derramar uma gota de sangue. 




Apesar das controvérsias que cercam sua existência e suas realizações, ela era um exemplo do bugeisha onna na sua totalidade. Anos depois de sua morte, Jingu foi capaz de transcender as estruturas sócio-econômicas que foram incutidas no Japão. Em 1881, a Imperatriz Jingū tornou-se a primeira mulher a ser destaque em uma nota do banco japonês.











Em contraste com a katana utilizada universalmente por seus colegas samurais do sexo masculino, arma mais popular entre as Onna- bugeishas foi a naginata , que é um polearma versátil , confeccionada com uma longa haste de madeira com uma lâmina curvada na ponta.






A arma favorece principalmente por seu comprimento (cerca de 2 metros), o que pode compensar na batalha contra adversários masculinos mais fortes e rústicos.










Além disso, a naginata faz a conexão direta entre o katana e o Yari , que é bastante eficaz no combate corpo a corpo próximo, e também é relativamente eficiente contra a cavalaria . Através de seu uso por muitas mulheres lendárias samurais , a naginata foi associada diretamente a imagem icônica de uma mulher guerreira .




Durante o Período Edo , muitas escolas com foco no uso dos naginata foram criadas e perpetuada a sua associação com as mulheres.


Baseado em texto e fotos originais postadas em :

https://www.thevintagenews.com/2016/01/27/female-samur/

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Erotismo na Fotografia de Igor Koshelev


Igor Koshelev (nasc 1985) é um fotógrafo russo (vive em St. Petersburg) especializado em nu artístico e arte conceitual. Ele costuma trabalhar com artistas de outras áreas, e suas exposições rodam o mundo com sucesso.










































































Mais trabalhos do artista e contatos no Facebook e  http://eng.igorkoshelev.ru/

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Faith Domergue : Monstros, Aliens & Glamour






A sensual, morena Faith Domergue nasceu em New Orleans, parte creole, mas principalmente de origem irlandesa e Inglesa. Ela foi adotada quando tinha seis semanas de idade, e  em 1927 seus pais adotivos a levaram para morar na Califórnia, onde foi educada em escolas católicas de Santa Monica. Teve seu primeiro flerte com a profissão de atriz quando ainda estava na escola, no palco do Teatro Bliss Hayden. Logo após sua formatura, ela sofreu um acidente de carro, aonde foi jogada contra um pára-brisa sofrendo sérias lesões no rosto e passando 18 meses em cirurgias plásticas intensivas. 




Em 1941 ela  descoberta por um caçador de talentos da Warner Brothers, assinando um contrato com seu nome adaptado a la Hollywood para " Faith Dorn ". Em algum momento no final de maio daquele ano, a jovem Faith se viu em uma festa de estúdio a bordo do Cruzeiro do Sul, um iate do bilionário Howard Hughes.

 Hughes, 21 anos mais velho que ela, tornou-se rapidamente encantado com a adolescente e comprou o seu contrato de Warner Brothers por US $ 50.000, em seguida, assinou com ela para o estúdio que possuía, a  RKO Pictures. Ele também acalmou os pais adotivos da menina comprando uma casa para eles, e pagando para ela ter aulas para aperfeiçoar sua dicção e atuação. O caso romântico continuou com idas e vindas, até meados de 1943, e acabou por ser afundado por vários casos de  Hughes com estrelas como, Lana Turner, Ava Gardner e Rita Hayworth...




Em 1945  Faith recuperou seu nome original, Domergue (insistindo em ser pronunciado "Dah-mure") e, no ano seguinte, fez sua estréia na tela no  filme "Escrava de Uma Lembrança" (1946), estrelado por outro "caso" de  Hughes, Jane Russell. Hughes, então, passou o extravagante - para a época - orçamento de US $ 3,2 milhões, para rodar "Vendetta" (1950), um drama criminal que deveria catapultar Faith ao estrelato. 



Três diretores começaram a trabalhar no projeto, apenas para serem demitidos em rápida sucessão: Max Ophüls, Preston Sturges e Stuart Heisler. A falta de formação teatral de Faith também provou ser um prejuízo. O filme foi finalmente completado por Mel Ferrer,e quando finalmente chegou nos cinemas foi um fiasco. Um esforço anterior, o filme noir "Trágico Destino" (1950), também foi lançado neste momento. Faith Domergue  estrelava no papel de uma femme fatale homicida, contracenando com Robert Mitchum, como o amante que ela manipula  para assassinar seu marido milionário Claude Rains. Apesar de mais um enorme campanha publicitária, com Faith em destaque na capa da revista "Look" e artigos em várias outras publicações, este filme também não foi bem nas bilheterias e Hughes perdeu o interesse por sua protegida.




Durante os próximos anos Faith atuou como freelance em outros estúdios, aparecendo nos westerns: "Onde Impera a Traição" (1952), com Audie Murphy; "Hordas Selvagens" (1953), com Jeff Chandler; e "Massacre Traiçoeiro" (1955), com John Payne, na Republic.





 Em 1955, ela estrelou o primeiro de um quarteto de filmes de  Sci-Fi / Horror pelo qual é relembrada até hoje. Em "This Island Earth"(Guerra Entre Planetas, 1955) de Joseph Newman, ela viveu uma cientista sequestrada por alienígenas e, com seus colegas, pressionada a defender seu mundo contra um ataque interplanetário. 



Filmado em Technicolor pela Universal, ajudado por um roteiro inteligente e efeitos especiais e maquiagens perfeitos, o filme foi um enorme sucesso e tornou-se um Cult favorito.



O mestre em make-up , o artista Bud Westmore, recebeu o orçamento de $ 24.000 para a criação de um monstro mutante de olhos esbugalhados, o "Mutante de Metaluna", com seu cérebro gigantesco e garras de caranguejo-  foi um dos mais impressionantes design de alienígenas em muitas décadas!







 Faith viveu uma outra cientista, agora empenhada em destruir um ameaçador polvo gigante (criação em stop motion de Ray Harryhausen,  com seis tentáculos, por causa do orçamento minúsculo) em "It Came From Beneath the Sea" (O Monstro do Mar Revolto,1955), de Robert Gordon. 











                                      Faith Domergue na arte de Woody Welch

Em "Cult of the Cobra" (Maldição da Serpente ,1955) de Francis D. Lyon, Faith substituiu Mari Blanchard no papel de Lisa Moya, alta sacerdotisa de um culto hindu de adoração a uma deusa cobra. 



 Ela assume a forma de uma serpente, a fim de matar seis soldados americanos que testemunharam sua cerimônia secreta.





Finalmente ela esteve em "Timeslip"/ The Atomic Man" (1955) de Ken Hughes. 




Um cientista trabalhando em um revolucionário projeto atômico é alvo de um atentado (os vilões são argentinos nazistas!) e sobrevive com um estranho problema: ele passa a viver 7,5 segundos a frente do tempo; respondendo perguntas antes delas serem feitas e sabendo o que vai acontecer uma fração de tempo antes...



Um thriller de espionagem industrial com uma história de ficção científica que na verdade...estava além do seu tempo!

Seguindo sua separação do escritor/cineasta argentino Hugo Fregonese, Faith fez três filmes na Inglaterra, mais notavelmente  apareceu  como a rainha do submundo de Londres, em "Soho Incident" (1956) de Vernon Sewell  . Durante os anos 1960 ela se concentrou na televisão e apareceu em tudo, desde "Bonanza", passando por "Combate" , " Perry Mason", " Bronco" , "Paladino do Oeste", etc..
  


Como um favor para seu amigo, o produtor George Edwards,
 Faith viveu mais uma cientista envolvida com monstros e alienígenas; a Doutora Marsha Evans, uma participação especial na picaretagem espacial "Voyage to the Prehistoric Planet" (O Planeta Pré Histórico , 1965) de Curtis Harrington...



...remontagem de um filme de sci-fi russo (Planet Bur, de 1962) comprado por Roger Corman, em que foram enxertadas cenas dela e de Basil Rathbone...





Depois de se casar pela terceira vez, agora com o  assistente de direção e produtor teatral italiano Paolo Cossa em 1966; Faith foi morar na Itália aonde participou de alguns filmes, destacando o Giallo influenciado por Alfred Hitchcock "Una Sull'altra" (Uma Sobre a Outra, 1969) de Lucio Fulci, com as também deusas Elsa Martinelli e Marisa Mell!!! 







...e "O Homem dos Olhos de Aço" (1971) de Alberto de Martino...



Faith e Jeff Morrow (de Guerra Entre Planetas) foram reunidos novamente  no terror-trash-gore "Blood Legacy"/"Legacy of Blood" (1971) de Carl (Please Dont'Eat My Mother) Monson... 




...um inepto Slasher com participação (muito rápida!) do veterano do terror John Carradine...






Ela voltou  ao gênero de horror barato com o divertido "The House of Seven Corpses"  (A Casa dos Sete Mortos ,1974) de Paul Harrison...



Ela vive Gayle Dorian,  a temperamental estrela de um filme de terror filmado em uma mansão assombrada, e que desperta um zumbi assassino depois de ler o "Livro Tibetano dos Mortos". 



Também com a participação especial de John Carradine,como Edgar Price (!?), o coveiro que sabe tudo sobre os crimes cometidos no local; Charles Macaulay, o Conde Drácula do Blaxplotation "Blácula, O Vampiro Negro" (1972); e o ex cowboy John Ireland, que esteve com ela em "Uma Sobre a Outra" (1969)...



Faith também esteve no último filme do veterano (A Sombra da Múmia- 1944; A Torre dos Monstros 1956...) Reginald Le Borg, "So Evil, My Sister"/"Psycho Sisters" ( 1974), um suspense de terror com um bom elenco, mas totalmente descartável...









Faith Domergue  nunca conseguiu ser uma grande estrela, no entanto, adquiriu com os anos, um status cult por causa de seu envolvimento no seminal " Guerra  Entre Planetas" (1955), bem como seus outros filmes de ficção científica e terror a partir deste período. Ironicamente, Faith confessou mais tarde que nunca se importou muito com o gênero. 
Faith faleceu em Abril de 1999 aos 74 anos de idade.

Em  "O Aviador" (2004), de Martin Scorsese , sobre a vida do milionário Howard Hughes (Leonardo Di Caprio), Faith Domergue foi vivida pela atriz Keli Garner...




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...